quarta-feira, 23 de julho de 2008

Muito tempo longe de mim... ou perto de mais.
Muito tempo em plena dormência do mundo, da vida, de tudo.
Muito em tão pouco. Tempo é algo a fazer, quando se torna algo a pensar fica difícil.

Tenho tanto a dizer e no entanto estou muda. Só escrevo quando estou feliz e assim sendo tenho que reaprender a escrever. Não é tristeza é uma urgência de viver de administrar tudo.
Quero mais um tempo, mais um pouco de sol, de lua, de amor.
Quero o meu filho menor mais livre de mim, mais maduro. Ele diz que ama a mamãe dele o tempo todo e isso me dá medo. Quero que o Dimi saiba que nunca vai estar só.
Só mais um pouco...
Quero deixar coisas escritas para eles me entenderem, me sentirem. Os maiores já me conhecem bem.
Acho um privilégio poder se despedir, se preparar. Melhor do que sumir do nada. Vou tentar escrever um pouco mais para vocês.

*************************************************************************************


Um comentário:

Paula Dunguel disse...

Amiga Ericka, estas páginas não serão mais atualizadas, nem irá brindar-me com mais uns de seus belos poemas, mensagens, poesias...
sentirei sua falta, mas sei que a vida é uma passagem, estamos aqui como peregrinos até que o Pai nos chame do nosso exílio. Porém, sei também que a vida e nem os laços de afeição se encerram com a morte corporal, eles continuam nos planos superiores e de forma ainda mais profunda, então creio que nossa amizade continuará mesmo estando em planos diferentes.
Que os seus bons guias espirituais e seu anjo guardião, conduzam-na a paz eterna. No mundo espiritual não há mais dor e nem sofrimento. Enquanto permanecemos no invólucro corporal, não somos plenamente livres mas a verdadeira liberdade iniciou para vc agora...
Fique em paz, minha querida amiga e de onde estiveres, orai e velai por mim. Um beijo e saudades...